Faculdade Nova Esperança - brand

Governo alerta sobre sintomas de gripe e resfriados durante o inverno

O Governo Federal por meio do Ministério da Saúde, lança uma alerta nesse período de baixa temperatura. Para o órgão governamental a população deve reforçar hábitos de higiene e ter atenção especial com crianças e idosos. O alerta também enfoca os riscos de tomar remédio por conta própria e a necessidade de procurar um serviço de saúde ao surgirem sintomas

Com a chegada do inverno, entre junho e setembro, é preciso estar atento. Esta é a época mais fria do ano, e é comum o aumento de doenças respiratórias transmissíveis como gripe e, resfriado. Cuidados simples podem evitar doenças graves.

A grande vilã do inverno é a gripe. Desde o início de junho o número de casos tem aumentado pelo país, como ocorre em todos os anos. Os Sintomas como febre, tosse e nariz entupido já são conhecidos.

Mesmo a doença sendo comum, o médico deve ser consultado para o tratamento correto. A automedicação é prejudicial independente da gravidade da doença. Já que tomar remédios por conta própria pode mascarar sintomas e até contribuir para o agravamento da doença.

Idosos, pessoas com diabetes, hipertensão, baixa imunidade ou que sofreram transplante merecem atenção especial. Crianças de 6 meses a menores de 5 anos também devem ter o mesmo cuidado. Estes são considerados os grupos de maior risco de terem complicações com a doença.

A gripe se espalha através das pessoas contaminadas. Elas expelem pequenas gotas de saliva através da fala, da tosse e do espirro. Quem tiver contato com esta saliva, tem grandes chances de ficar gripado. Outra forma de contágio é quando alguém coloca a mão em algum objeto com estas gotas de saliva.

Resfriado é diferente de gripe. Embora parecidos com o da gripe, os sintomas do resfriado são mais brandos e duram menos tempo. No resfriado, a febre é menos comum e, quando aparece, é baixa (até 37 graus).

Higiene – Coisas bem simples ajudam muito na prevenção. Lavar as mãos regularmente com água e sabão ou álcool gel 70% é um grande exemplo. A preocupação com o hábito de lavar as mãos já é rotina entre profissionais de saúde, e se difundiu mais na população depois da epidemia de gripe H1N1 no ano passado. Mas este procedimento simples pode evitar também outras doenças, como o resfriado.

Fonte: http://portal.saude.gov.br/portal/aplicacoes/noticias/default.cfmpg=dspDetalheNoticia&id_area=1450&CO_NOTICIA=11527

Selo 2
Selo 1
Selo – Hospital Maternidade
Selo – Ciencia sem Fronteiras
Selo – Anjos
Selo – Fisio
Selo – abmes